jump to navigation

O Cristo do Natal Dezembro 24, 2009

Posted by David Costa in Geral.
trackback

O Principe da Paz – O Rei da Glória
Ao lermos o nono capítulo de Isaías, compreendemos que o Cristo do Natal, ao qual é chamado ali de “Maravilhoso” e “Deus Poderoso”, ainda está para ser o “Principe da Paz” no seu trono terreno. No Salmo 24, Cristo é chamado “o Rei da Glória”.

De acordo com o apóstolo Pedro, quando os governantes deste mundo crucificaram Cristo, eles mataram “o Príncipe da Vida” (Actos 3:14 e 15). O apóstolo Paulo refere que os governantes deste mundo crucificaram “O Senhor da Glória” (I Coríntios 2:8).
Posteriormente o apóstolo Paulo escreve acerca da vinda de Cristo usando a mesma linguagem, em I Timóteo 6:14-16, “à aparição do nosso Senhor Jesus Cristo, a qual, a seu tempo, mostrará o bem-aventurado e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores.”

Entretanto encontramos esta maravilhosa mensagem para a raça humana, não só para o dia de Natal, mas para todos os dias, todas as horas e todos o momentos de todos os anos: “Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1)

Apesar de podermos estar a gozar de prosperidade material, de saúde, e termos os nossos familiares e amigos chegados à nossa volta, durante esta época festiva, não é possível gozarmos de verdadeira e genuína alegria, se não tivermos Cristo em nós, esperança de glória, e se não compreendermos que Deus, por intermédio de Cristo, perdoou todos os nossos pecados. Esta é a mensagem que encontramos em:

“Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória.” (Colossences 1:27)

“Antes sede uns para com os outros, benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também, Deus vos perdoou em Cristo.” (Efésios 4:32)

“Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si, no Amado; Em quem temos a redenção pelo seu sangue, e remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça.” (Efésios 1:6-7)

Gabriel e a virgem Maria
Quando o anjo Gabriel anunciou à virgem Maria que ela iria conceber e dar à luz um Filho, e o chamaria de Jesus, ele disse também: “Este será grande, e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de David, seu pai; e reinará eternamente na casa de Jacob, e o seu reino não terá fim.” (Lucas 1:26-33).

E então o menino, Jesus, concebido pelo Espírito Santo, nasceu à virgem Maria na cidade de Belém (Lucas 2:1-7). Tal aconteceu em cumprimento do que estava profetizado em Isaías 7:14 (“Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel”) e em Miquéas 5:2 (“E tu, Beth-leém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”). E então segui-se a mensagem do Senhor, “Paz na Terra… Boa vontade para com os homens” (Lucas 2:14).

Os seus não o receberam
No Evangelho de João, capítulo 1 e versículo 11, lemos que Cristo veio para os que eram seus, e os seus não o receberam. Os seus concidadãos o odiaram e lhe enviaram uma mensagem dizendo “Não queremos que este reine sobre nós” (Lucas 19:14). Então o Rei e Messias rejeitado de Israel chorou sobre a sua nação e a cidade dos seus concidadãos, dizendo, “Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos”. Então o Senhor explicou que o Julgamento viria em vez de Paz, “pois que não conheceste o tempo da tua visitação” (Lucas 19:41-44).

Cristo fez a Paz pelo Sangue da Sua Cruz
O Senhor Jesus, rejeitado pela Sua nação, não foi para o trono de David para estabelecer a paz universal na terra, mas foi antes para a Cruz do Calvário. Assim sendo, a “Paz na Terra” não aconteceu nessa altura, mas foi adiada.

Mas em Colossenses 1:20 lemos acerca de Cristo na Cruz do Calvário, “havendo por ele feito a paz, pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus”. Será a paz referida neste versículo a mesma que os anjos proclamaram no nascimento de Jesus?
Um dos maiores inimigos de Cristo (o apóstolo Paulo) tornou-se o mais fiel e frutífero servo de Cristo. Paulo disse “Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1).

Mais tarde Paulo escreveu: “Não estejais inquietos por coisa alguma, antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas, diante de Deus, pela oração e súplicas, com acção de graças; E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos, em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:6-7). “Ora o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz, em crença, para que abundeis em esperança, pela virtude do Espírito Santo.” (Romanos 15:13).

Sendo assim, a paz a que se refere Colossenses 1:20 é a paz que Deus estabelece com aqueles (indivíduos) que aceitam a obra do Senhor Jesus Cristo na Cruz como remissão dos seus pecados. Esta é uma paz “individual”. A outra, de Lucas 2:14, é uma paz “universal”, para toda a terra, todas a nações.

Quando é que a Paz na Terra será estabelecida?
Em Efésios 2:14 a 15 lemos que, porque o Senhor Jesus Cristo fez a paz na cruz, por essa cruz do Senhor da Glória, Deus está a criar “Um Novo Homem”, composto de gentios crentes e judeus crentes, reconciliando assim os crentes de todas as nações num “Só Corpo” pela cruz.

Mas Deus não abandonou o seu programa de “Paz na Terra”. Ele adiou o programa do Seu “Reino” até “O Novo Homem” estar completo. Mais tarde, de acordo com Isaías 62:1-4, Deus estabelecerá um Novo Israel e uma Nova Jerusalém.

Em Salmos 24:7-10 lemos que “entrará o Rei da Glória”. E então Israel será salvo (Romanos 11:26 e Lucas 21:27-33). Acerca de Israel nesta altura lemos, “e olharão para mim, a quem trespassaram” (Zacarias 12:10). “Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram.” (Apocalipse 1:7).

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o Seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do incremento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de David e no seu reino, para o firmar e o fortificar em juízo e em justiça, desde agora para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.” (Isaías 9:6-7).

A questão de Pôncio Pilatos
“Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo?” (Mateus 27:22). Será a nossa esperança somente que Cristo estabeleça a “Paz na Terra”, um dia no futuro? Não! Cristo foi entregue pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação (Romanos 4:25). Cristo morreu para nos livrar da ira futura (I Tessalonicenses 1:9-10). Ele é o Salvador do mundo (I João 4:14). É Ele também o teu Salvador?

(por J. C. O’Hair)

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: