jump to navigation

Discernimento Espiritual Dezembro 18, 2013

Posted by David Costa in Estudos.
trackback

O remorso pode ser um fardo terrível de suportar. Mas tememos que alguns crentes, devido à sua negligência pelas coisas de Deus, terão muito que lamentar quando vierem diante do tribunal de Cristo. No caso do descrente, a negligência é compreensível porque o homem natural está em inimizade para com Deus. Mas o crente encontra-se sem desculpa pois ele recebeu o Espírito de Deus para que “pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus” (1 Coríntios 2:12). É o mesmo Espírito que nos capacita a as conhecermos. Talvez não sejas estranho para com as bênçãos que Deus preparou para nós. Se assim é, vem connosco até a fonte da Palavra de Deus, onde muitas almas sedentas tem apagado a sua sede espiritual.

As coisas de Deus e o homem natural

“Ora o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 2:14)

Em mais de uma ocasião dei comigo a ler uma passagem da Escritura, como esta, para parar e dizer para comigo próprio: “Como isto é verdade!”. Diz a um perdido que Cristo derramou o Seu sangue pelos seus pecados e prepara-te para uma série de objecções antagónicas. Por exemplo, muitos afirmam mesmo que o Cristianismo é meramente uma religião bárbara e de violência, quando se discute o conceito da morte de Cristo na cruz, para remissão de pecados. Na verdade, “a palavra da cruz é loucura para os que perecem” (1 Coríntios 1:18).

O perdido é incapaz de receber o que a Palavra de Deus comunica. A título de exemplo, os sinais WiFi são transmitidos por todo o quarto onde te encontras lendo estas palavras. Mas se não possuíres um dispositivo electrónico apropriado, como um computador portátil ou um “smartphone”, tais sinais não podem ser recebidos. O mesmo acontece com o perdido. Até o momento em que o Espírito Santo o sintoniza na frequência da Palavra de Deus, ele nunca será capaz de receber as coisas de Deus. É importante recordarmos este princípio deveras importante: verdades espirituais não podem ser compreendidas por meios naturais. Por consequência todas as escolas de ensino elevado, todas os poderes de persuasão, todas as disciplinas de raciocínio humano nunca poderão trazer o homem natural a fazer a paz com Deus.

O Espirito Santo precisa de revelar ao homem perdido a palavra chave, que é a B-Í-B-L-I-A. Ele consegue tal ao suspender temporariamente a cegueira dos seus corações, permitindo assim que “a luz do evangelho da glória… lhes resplandeça” (2 Coríntios 4:3-4). Sob a convicção do Espírito, é dada ao descrente a oportunidade de crer ou de rejeitar o evangelho. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e ou ouvir a Palavra de Deus” (Romanos 10:17).

Desafiamos todo aquele que carrega a tocha da graça a porem de lado todos os programas vazios e inúteis do homem e se agarrem à Palavra da Vida que é o Poder de Deus para salvação. Deus sempre opera através da sua Palavra para trazer convicção ao perdido. Que possamos reconhecer humildemente que a soberania de Deus e a responsabilidade humana encontram-se eternamente ligadas.

As coisas de Deus são reveladas pelo Espírito

“Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.” (1 Coríntios 2:10)

Por este versículo compreendemos que somente o Espírito Santo pode conhecer a mente de Deus. O apóstolo Paulo, a título de ilustração, questiona: “Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está?” (1 Coríntios 2:11a). Enquanto escrevo estas palavras, eu penso numa “coisa de valor”, mas será que a podes nomear? Não há nenhuma possibilidade de que possas saber que “coisa de valor” eu tenho em mente. Podes tentar adivinhar, mas mais que certo tu estarás errado. E mesmo que a adivinhasses, não terias forma de saber com 100% de certeza que estavas correcto. Como não és capaz de sondar os meus pensamentos, eu tenho de revelar-te o que é esta “coisa de valor” em que estou a pensar, ou continuará a ser um mistério.

“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” (1 Coríntios 2:9).

Ao contrário da maioria de nós, o apóstolo Paulo possuía um conhecimento extraordinário do Velho Testamento, e usou-o efectivamente quando ministrava a Palavra de Deus. A passagem acima referida encontra-se escrita no livro de Isaías (64:4). Tal como um cirurgião que com todo o cuidado e perícia executa uma incisão, Paulo seleccionou meticulosamente estas palavras de Isaías para fazer uma aplicação para nós. O ponto principal é que nunca poderemos descobrir por intermédio de sabedoria humana as coisas que Deus tem preparado para aqueles que O amam. Nós damos graças a Deus que Ele nos deu a conhecer estas bênçãos por intermédio do Seu Espírito. Lê mais uma vez em espírito de adoração as palavras: “Mas Deus no-las revelou pelo Seu Espírito” (1 Coríntios 2:10). Não temos de esperar até chegar ao céu para aprendermos acerca das bênçãos que são nossas neste período da graça de Deus. Nós podemos, e devemos, ter conhecimento delas agora mesmo.

É lamentável que muitos santos se contentam com simplesmente serem salvos. Eles não possuem qualquer desejo de descobrir as coisas que Deus preparou para eles. O seu lema é: “eu aprenderei acerca disso tudo quando eu chegar ao céu”. Independente da causa de tal raciocínio, há duas coisas que estes santos falham em considerar: em primeiro lugar, eles entristecem o coração de Deus; e em segundo lugar, eles sofrerão perda terrível no tribunal de Cristo.

O que nos é dado gratuitamente por Deus

“Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus” (1 Coríntios 2:12).

Quando entregamo-nos como instrumentos de justiça, o Espírito Santo revela ao nosso espírito as coisas de Deus. Ele o faz por intermédio das Escrituras. Com isto em mente, consideremos algumas das bnçãos espirituais que nos são dadas gratuitamente.

Coisas passadas:

Através da revelação entregue ao apóstolo Paulo, nós aprendemos que o nosso pai celestial tinha em mente um propósito secreto para este período da graça em que vivemos. Portanto, Deus tinha predeterminado a existência da Igreja, corpo de Cristo, antes da fundação do mundo (Efésios 1:4,9-10). Que privilégio é compreender que somos parte do propósito eterno de Deus em Cristo Jesus. Os Gentios, que antes viviam longe de Deus, são agora trazidos perto pelo sangue de Cristo (Efésios 2:11-13). Aqueles que são os recipientes da obra da redenção de Cristo são agora justificados gratuitamente pela Sua graça e conhecem o gozo de terem os seus pecados perdoados (Efésios 1:7).

Coisas presentes:

É interessante notarmos que Paulo fala no presente quando escreve sobre a verdade maravilhosa que Ele “nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus” (Efésios 2:6). Deus nos vê de uma forma diferente do que nós nos vemos a nós próprios posicionalmente. Ele nos vê em Cristo com todas as coisas congregadas nEle. Do ponto de vista prático, nós temos uma nova natureza que é santa e justa pela virtude do Espírito Santo que habita em nós. Mas precisamos de ter cuidado para não extinguir o Espírito. O pecado e falharmos em entregarmos a nossa vida a Ele pode ter tal consequência.

Quando a chama começa a extinguir-se, ela ainda está presente nas cinzas incandescentes das brasas. Se agirmos rapidamente, a chama ainda pode ser reacendida. O Espírito, na verdade, nunca pode ser completamente extinguido, mas é possível lhe resistir (Actos 7:51). Se resistirmos em seguir a direcção do Espírito Santo a estudar e aplicar as Escrituras, tal resulta frequentemente em nos entregarmos aos desejos da carne. Não é de admirar que a Igreja dos nossos dias seja tão espiritualmente superficial. Será que a chama da Palavra de Deus precisa ser reacendida na tua vida? (1 Coríntios 6:19-20; Efésios 4:23-29; 1 Tessalonicenses 5:19).

Após a nossa conversão, Cristo nos dá um propósito de vida. Imagina… temos uma vida inteira para considerar tudo aquilo que vamos gozar em Cristo. Antes de sermos salvos, vagueávamos loucamente por esta vida sem Deus e sem esperança. Antigamente, as coisas terrenas eram extremamente importantes para nós. “Temos que manter as aparências”, é o objectivo de vida de muitos. Agradeço a Deus que eu morri em Cristo e agora estou livre da servidão do pecado que antes me escravizava. Cristo é tudo o que Ele proclamou ser e muito mais. Ele é a nossa alegria, contentamento e satisfação.

Podemos sentir solidão, mas se temos Cristo, nunca seremos esquecidos. Podemos ser oprimidos pela tristeza, mas se temos o nosso Senhor, nunca estaremos sem esperança. Podemos nos encontrar sem quaisquer recursos, vivendo em completa pobreza, mas se temos Cristo, possuímos riquezas eternas sem par.

“Em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência. Porque nela habita, corporalmente, toda a plenitude da divindade” (Colossenses 2:3,9).

Coisas futuras:

Se existe algo que o crente possui é um futuro. Um dia a trombeta irá soar, e como se costuma dizer, “vamos daqui para fora”. A volta de Cristo no arrebatamento é a nossa expectativa com confiança. O pastor Win Johnson costumava contar de um velho pregador que costumava dizer à sua congregação: “é bom que nós vamos ser todos transformados, pois se tal não fosse, haveria um motim no momento do arrebatamento” (1 Coríntios 15:51-53). Imagina, o céu será o nosso lar. Quando chegarmos à glória, o nosso pai celestial vai-nos revelar a sua bondade. Isto, meu amigo, vai para além da nossa compreensão. Ele já justificou-nos, santificou-nos, e um dia irá glorificar-nos. Na glória, Ele irá pessoalmente mostrar-nos a nossa herança eterna que Ele teve o prazer de preparar para nós.

De pensar que Ele tomou um pobre, desprezível pecador como eu, salvou-me, lavou-me no sangue do Seu Filho Amado, perdoou-me, e um dia me levará para habitar juntamente com Ele no céu! E maravilha das maravilhas, Ele também planeia revelar-me a Sua bondade! Isto sim é graça no completo sentido da palavra!

Estas são apenas algumas das “coisas de Deus” com que Ele nos abençoou graciosamente. Concluímos com esta questão: “Quem conheceu a mente do Senhor?” (Romanos 11:34; 1 Coríntios 2:16). Nós cremos que a resposta se encontra naqueles que estudam o conselho completo de Deus à luz das epístolas de Paulo. Aí se encontra a mente de Cristo por ordem do Espírito Santo (1 Coríntios 2:16; Filipenses 2:5). É impossível extinguir a graça incomparável de Deus, mas aqueles que buscam a verdade encontram o favor de Deus. O desejo de nosso coração é que os nossos leitores não tenham qualquer remorso quando forem apresentados perante o tribunal de Cristo.

(por Paul Saddler)

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: